Escolha uma Página

Senftenberg generic actos pills Como Montar uma Equipe de Qualidade

dosage for humans of ivermectin

Qualquer organização, independentemente do tamanho, estrutura, seguimento ou finalidade, só conquista seus objetivos se houverem pessoas evolvidas, uma ou mais, seja apenas você proprietário e faz tudo, ou se você tiver mil liderados.

Empresas não crescem sozinhas; precisam de seres humanos e por isso que sempre pontuo em todas as minhas palestras, treinamentos, artigos: stromectol in pakistan O Ser humano é o Bem mais Precioso de uma Empresa.

Você pode ter o melhor produto, o melhor processo, mas se as pessoas não estiverem comprometidas com o objetivo da organização, muito raramente esta organização alcançará o que almeja ou, na melhor das hipóteses, poderá demorar mais que o planejado.

Além de mais importante, quando se trata de pessoas, temos um dos quesitos mais desafiadores no mundo dos negócios.

A maioria dos(as) empresários(as) que eu converso, pontuam sobre a dificuldade de se encontrar pessoas comprometidas e reclamam dos seus liderados. Bem…temos a equipe que merecemos! Somos nós, os responsáveis pelos liderados.

Então, como ter uma boa equipe? Claro que você poderá contratar uma empresa especializada, mas se você desejar se “aventurar”, vou listar alguns tópicos que é importante levar em consideração:

 

forum elite rencontre 1 – Qual é o perfil da pessoa para ocupar o cargo em questão?

Para não começar errando, a primeira coisa que precisamos ter com clareza, é qual perfil que a pessoa precisa ter para ocupar determinado cargo. Não adianta contratar uma pessoa que tem um perfil de comportamento extremamente ativo, agitado, multitarefas, comunicativo e colocá-lo para preencher planilhas. Ele pode ser até bom no começo, mas muito provavelmente, não manterá a mesma motivação no decorrer dos meses, não entregando resultados tão satisfatórios. Na minha empresa, eu faço teste de comportamento nos candidatos de mais destaque (uso uma ferramenta profissional, camada DISC*), dessa forma sei qual é o padrão de comportamento deles. Caso você não possa lançar mão dessa ferramenta, você pode identificar padrões através da conversa, claro que não é tão eficaz, mas sabendo exatamente o que você precisa, você saberá fazer as perguntas certas.

*falo sobre ela num outro artigo: top live dealer casino voor geld Análise de perfil comportamental – Importância no dia a dia profissional – Clique aqui

flippantly ivermectin dosage for humans in south africa

https://geldsuchhund.steffengiese.de/2753-dde25001-mark.de-er-sucht-sie.html

2 – Quais serão os parâmetros para seleção de candidatos para a vaga?

Definir claramente, quais itens desclassificam um funcionário, independente de outros itens. Vou dar um exemplo: Vou contratar um colaborador para abrir o escritório todos os dias as 08:00, sendo que qualquer atraso poderá afetar negativamente a organização – para esse cargo em específico, o local que essa pessoa mora, já pode ser um parâmetro de seleção a ser considerado.

 

3 – Você sabe fazer uma entrevista?

Você tem as perguntas certas, que farão seu entrevistado dizer o que você precisa saber? Para mim, um dos maiores erros de pessoas que vão entrevistar, é de achar que um papo sem direcionamento, vai ser eficaz num processo de escolha. É imprescindível que você tenha planejado sua entrevista; listado as perguntas certas para obter as repostas que precisa. Ter atenção ao que o entrevistado está dizendo e estimular que ele fale o máximo possível.

 

4 – Você terá tempo de treinar o escolhido?

Vejo muitos líderes delegando a função de treinar para o colega do novo funcionário que está lá a mais tempo e isso não é um problema, desde que o líder tenha total certeza de que o que está sendo passado, está correto, evitando assim quaisquer vícios que o setor ou a pessoa que esteja treinando venha a ter. Além disso, o líder deve acompanhar e ficar atento nas formas que a pessoa se comporta durante o processo de adaptação, para daí já começar a entender o indivíduo nas suas individualidades e como isso pode agregar ou não para a empresa. Na maioria das vezes, o colega não tem discernimento sobre isso, apenas passam as atividades sem maiores preocupações.

 

5 – Como medirá a capacidade técnica do escolhido?

Quais serão, durante o processo de treino/adaptação, a forma de você medir se o escolhido foi ou não a melhor opção para a vaga. O quanto antes você identificar melhor, assim, você ganhará tempo para saber se ele possui dificuldades que poderão ocasionar problemas futuros e que não possam ser permitidos.

 

6 – Como medirá se o comportamento do escolhido é condizente com a cultura da sua empresa?

Costumo fazer pequenos testes, sem que ele perceba, com o intuito de saber como ele se comporta, emocionalmente, verbalmente, fisicamente diante de circunstâncias adversas de pressão, de rotina ou emergência. Saber disso, antes de uma situação de estresse de fato, pode evitar muitos problemas. Saber como ele toma decisões, quais as escolhas diante de determinadas opções, é muito importante e serve para nos orientar até onde podemos contar om a autonomia dessa pessoa.

 

7 – Se ele não atender as expectativas, em quanto tempo você perceberá?

Levando em conta o período de experiência que já serve exatamente para que tanto o empregado, quanto o empregador se adapte ou não, como você fará para tirar o máximo de proveito desse período para avaliação? Demitir, na minha opinião, nem sempre é uma tarefa fácil. Não foram poucas as vezes que tive relatos de empresários que mesmo depois que definiram que o empregado não atendeu às expectativas demoraram até um ano ou mais para demiti-los, gerando assim muito estresse e dor de cabeça. Limite de tempo para adaptação ou não, sejam nos 03 meses ou mais, devem ser definidos já no início.

 

8 – Se ele atender a expectativas, o que ele receberá (salário, benefícios, possibilidade de crescimento etc.) é o suficiente para ele? Por quanto tempo? Como vai fazer para saber?

Pronto! Escolha certa. A pessoa atendeu às expectativas, tanto tecnicamente, quanto no comportamento e é claro que o valor do salário, dos benefícios já foram definidos no momento da contratação, mas isso é o suficiente? Se sim, por quanto tempo? Quais são os objetivos a médio e longo prazo dessa pessoa e em que a empresa contribui? O que é importante para essa pessoa, para que ela se mantenha na equipe? Tão importante quanto achar um bom funcionário, é mantê-lo! E satisfeito!

 

9 – E por fim, não menos importante: Como vai arrumar tempo para tudo isso?

“O líder precisa de tempo para liderar” outra coisa que defendo em meus textos, palestras conversas etc. Se o líder estiver ocupado demais com processos, estrutura, burocracias, quando ele poderá acompanhar o andamento dos liderados? Individualmente, se possível? Criando base de relacionamento, ajustando, desenvolvendo essas pessoas, sendo promotor de mudança na vida dessas pessoas, apoiando-os para seu crescimento. Se você não fizer isso, há grandes chances de se perder o controle ou até mesmo perder pessoas excelentes por não prestar atenção nas pequenas coisas.

Depende do líder, fazer com seus liderados gerem melhores resultados para empresa, sejam mais produtivos e competentes para que assim, essas pessoas juntas façam a empresa crescer.

Para isso, você deve delegar a maioria das coisas que você puder, e assim, desenvolver sua função de liderar pessoas para crescimento delas próprias e da organização.

Ser líder nos dias de hoje é ser adaptável às mudanças e às diversas, personalidades, culturas, comportamentos e principalmente, diversas gerações de pessoas liderar uma equipe vai além de delegar atividades e apontar falhas. É direcionar e desenvolver pessoas ao alcance de um objetivo organizacional.

Você tem uma equipe que está desmotivada? Quer potencializar ainda mais o engajamento do seu time? Parece que sua equipe não tem compromisso e não ouve o que você fala? Então tenho um curso é para você! Aplicabilidade comprovada. O que você aprende na aula você pode aplicar no dia seguinte.

Participe do treinamento: Para cada liderado um líder!

Soliana Angeli é Empresária.
MBA em Liderança e Gestão de Pessoas e MBA em Gestão Empresarial.
Business, Leader, Life , Excutive, Master Coach e Coach de Carreiras .
Analista Comportamental,  de Competências e Inteligência Emocional
Foco em desenvolvimento e gestão de pessoas e processos.
Sócia da Multi Núcleo treinamentos Integrados e Espaço MultiNúcleo Coworking e eventos.
Empreender é uma paixão.